terça-feira, 1 de julho de 2014

(In) sanidade

Que a sanidade esteja presente, mas não tanta.  É preciso ser um pouco insana para compreender a dor, o desamor e oferecer doses de afeto que promova a cura.
[Teresa Cristina]