quinta-feira, 29 de março de 2012

Por um tempo, pouco tempo...




Onde está a intensidade do sentir que sempre estavam presentes em seus pensamentos e seu coração?
Cadê aqueles questionamentos todos sobre a vida, o amor, as paixões e os sonhos?
...
Foi engolida pelo pelas exigências rotineiras do dia-a-dia.
Ficou disfarçada no make-up, no traje social e no salto alto.
Ficou perdida em meio as reuniões de trabalho.
Foi atropelada pela correria do daqui-pra-lá e do de-cá-pra-lá.
Ficou consumida pelas exigências sociais.
...


Tudo bem, cada coisa a seu tempo. 
e agora é tempo de dar um tempo
na ânsia de sentir, amar e sonhar demais.
mas só por um tempo...
pouco tempo...


[Teresa Cristina]