segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Por que o "tiro saiu pela culatra"?


Ela achava que ia tirar aquilo tudo de letra, afinal, o coração dela estava partido. E naquele início de entendimento das coisas do mundo adulto ela inocentemente achou que coração partido não vibrava, não batia, não disparava. Talvez ela tenha inventando essa mentira, essa bobagem para amenizar a dor que sentia quando aquele mundo cheio de amor e romance que ela tinha criado, havia desabado. 
Mas não é que a vida foi lá e lhe preparou uma surpresa para provar o contrário? E o coração bateu, vibrou, disparou, e aquela romântica incurável ainda estava lá. 
Ainda bem.
E ela ia registrar isso para nunca mais esquecer de sua capacidade de se apaixonar e amar.