sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Silêncio, pausa e saudade.


Às vezes o silêncio dói, mas tenho pensado que talvez ele seja necessário. Um silêncio externo que causa um ruído imenso por dentro de diálogos e intenções que ficam somente na nossa cabeça. Quero aceitar mais o silêncio, buscá-lo dentro de mim. Às vezes, pausas são necessárias. Para que se possa olhar para a bagunça, o caos e reorganizar e reesignificar coisas, pessoas, momentos. Depois que tudo passa, fica ela, a saudade. Como eu já disse em outra oportunidade aqui, eu gosto da saudade, pois se tenho saudades é porque foi importante e significou, significa muito para mim, apesar dos pesares. Termino este post com Clarice:

"Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la."
Clarice Lispector