segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Dia D - Drummond

Oi gente, hoje é o dia do nascimento de Carlos Drummond de Andrade e muitos blogueiros vão homenageá-lo postando algo sobre o poeta mineiro. Creio ser uma iniciativa da Vanessa do Blog Fio de Ariadne. Então vamos ao poema:

O Enterrado Vivo


É sempre no passado aquele orgasmo,
é sempre no presente aquele duplo,
é sempre no futuro aquele pânico.

É sempre no meu peito aquela garra.
É sempre no meu tédio aquele aceno.
É sempre no meu sono aquela guerra.

É sempre no meu trato o amplo distrato.
Sempre na minha firma a antiga fúria.
Sempre no mesmo engano outro retrato.

É sempre nos meus pulos o limite.
É sempre nos meus lábios a estampilha.
É sempre no meu não aquele trauma.

Sempre no meu amor a noite rompe.
Sempre dentro de mim meu inimigo.
E sempre no meu sempre a mesma ausência.



Eu adoro esse poema, acho o muito forte e marcante.