terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sobre os Psi!


Desde a faculdade me perguntavam: é verdade que todo psicólogo é doido? No auge da minha (I)maturidade dos 20 e poucos anos ficava um pouco brava com isso e passava algum tempo explicando para o interlocutor que não. Com o passar dos anos tenho entendido que os profissionais, curiosos e admiradores do mundo Psi não são pessoas tão comuns assim mesmo. É uma característica nossa penetrar nas entrelinhas, enxergar o oculto, falar com a alma, e para isso, meus queridos, talvez só sendo um pouco (muito) doido mesmo.
Esses dias, uma amigo meu me disse, meio baixo, mas eu ouvi: "você é uma cigana doida mesmo", rsrsrs, cigana por conta da música da Shakira Gitana (that's me) e doida não tem explicação, mas entendi como um elogio, tá?
E aqui, deixo Jung que me confortou bastante sobre isso (creio que já atormentavam o pobre naquela época pra ele ter dito isso):

"Ser normal, é a meta dos fracassados"
Carl Gustav Jung

Então tá, né Jung?

Beijocas
"Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos, um livro mais ou menos. Tudo perda de tempo. Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo. O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia…”


Trecho de "O Divã" de Martha Medeiros.


E eu o meu Divã eterno que alimenta meu vício reflexivo, mas que colore e dá movimento à minha vida...