quarta-feira, 15 de junho de 2011

Juventude - blogagem coletiva

Chegamos à mais uma edição da blogagem coletiva Fases da Vida, proposta querida Rosélia (Blog Espiritual-idade). Participar dessa blogagem tem sido uma oportunidade de contar e resignificar nossas histórias. Hoje é dia de falar sobre a Juventude.

                                                            Imagem daqui

Posso dizer que algo que marcou minha juventude foi começar a trabalhar aos 17 anos, como auxiliar administrativo na Secretaria de Saúde da minha cidade. Arrumar um trabalho para mim acho que foi uma das melhores coisas que meu pai fez por mim.O trabalho dignifica a pessoa. Acredito que uma pessoa cresce, amadurece e vira adulta quando consegue pagar as próprias contas. Então estava eu lá, trabalhando, terminando o terceiro ano do ensino médio...a vida passou a ficar corrida.
Aí veio o primeiro vestibular. Meu pai queria que eu fizesse medicina, eu não sabia ao certo o que queria. Mas coloquei para medicina mesmo. Era certeza que eu não ia passar, pois apesar de ser estudiosa, não era suficiente para medicina e eu não tinha clareza do que iria fazer...então mais um semestre de correria: trabalho, cursinho, casa, pensar o que vai ser na vida:
- Assistente social? humm, não e também só tinha na faculdade particular
- Biológa??? Hum....também não, detesto estudar as plantas e os bichos
- Farmacêutica? hum, até poderia se não fosse o excesso de química.
A minha amiga Samira prestava a um ano vestibular para psicologia e comecei a pensar sobre esse curso, era algo diferente, e que achava que poderia dar certo. Fiz "teste vocacional" no cursinho e bingo: Psicologia era o curso pra mim. Vestibular chegou, bati na trave, fiquei na lista de espera...teve 4 chamadas e eu não entrei. Como eu chorei aquele dia...mas vamos lá, cursinho-trabalho-casa. E então chega o ano de 2000 e eu passei no vestibular de psicologia da UFU em 15º lugar. Foi com certeza um dos momentos mais felizes da minha vida.
Aí veio faculdade e um mundo novo. Continuava trabalhando e conciliando estudo e trabalho. Fiz amigos especiais, curti algumas festas, tive 2 namoros longo neste período (arrependo, rsrsrsrs) poderia ter ficado um  tempo da faculdade solteira, pois o namoro prendia muito.
Eu tenho muita saudades dessa época e posso dizer que tive uma juventude bacana, cheia de conquistas:
- diploma
- abri meu consultório
- consegui promoção para psicóloga na Secretaria de Saúde
- passei no mestrado
- tirei carteira de motorista
- comprei meu celtinha (apesar de ter trocado recentemente, o primeiro carro é sempre especial)
- conheci meu marido
- casei (rsrsrs)

Ainda sinto que estou na juventude, então termino este post com reticências e com o coração cheio de esperanças de que coisas boas estão ainda por vir...