domingo, 20 de fevereiro de 2011

Uma poesia para mim!

Boa tarde de domingo, gente!!

No final da minha adolescência, conheci um pessoal, gente dessas "turminhas adolescentes passageiras" no qual nos encontrávamos de vez quando para conversar. Um dia, recebi por e-mail de um colega dessa turma, uma poesia. Nunca tive nada de especial com esse colega, nunca saímos sozinhos, mas nem sempre dizemos às pessoas o que achamos delas, mas ele me disse nesse e-mail.

Essa poesia me marcou, o colega em questão não mais o vi. Só sei que tem 10 anos que guardo o papel impresso com essa poesia e às vezes releio, pois achei muito bonita. Tenho pensado a algum tempo em transcrevê-la aqui no blog, para guardá-la aqui também, já que o e-mail eu o excluí.
Ele me percebeu de uma maneira muito bonita e é bom ler. Então vamos ao momento nostalgia:

O e-mail começa assim: "Você lembra da época do arcadismo? Caso não se lembre mais, foi a época em que os poetas tinham musas inspiradoras e usavam pseudonimos, lembrou agora?...Bem escrevi um poema usando para você o pseudônimo de Varla"


"Varla...calma, pur'alma que por onde passa espalha com graça
Branda luz que sem que se perceba toma conta de tudo a sua volta
Teus olhos primam pela pureza, teus cabelos...ah teus cabelos...
Tão negros que causam em mim desespero;
Por lembrar das noites de lua viva
Que naquela época nem sequer sabia
Que já fazias parte de minha vida!"