quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Compartilhando: Eu no programa de rádio!!!

Boa tarde de quinta, gente!! Ontem participei aqui na minha cidade do Programa de rádio "De mulher para mulher". Fui convidada pela apresentadora do programa, Shirlene Soares Campos que desenvolve um trabalho filantrópico belíssimo em Uberlândia à mais de 30 anos. Quando recebi o convite semana passada, ela me informou que o tema era livre. Sobre o que falar então? Fiquei pensando e decidi que falaria sobre "eu e o outro", ou seja, relacionamentos. Foi uma experiência bacana, pois a apresentadora fala durante 15 minutos sobre um tema elaborado por ela e depois ficam 15 minutos para a convidada, no caso de ontem, eu!
A apresentadora abordou o relacionamento entre pais e filhos, e que muitas vezes a falta de limites acaba levando às crianças a desenvolverem psicopatologias ainda na infância, tais como fazer pequenos furtos de maneira recorrente. Quando ela passou a palavra para mim, considerei que muitas vezes esses pais são os que mais precisam de ajuda e divulguei os telefones de contato dos serviços gratuitos de psicologia na cidade, incentivando para que as pessoas busquem ajuda.

Entrando na minha fala, especificamente, levei a metáfora da Árvore torta. Eu gosto muito dessa mensagem pois ela nos fala dessa mania que temos de querer "consertar" o outro de acordo com o nosso modelo de mundo. Fala dessa mania até arrogante de queremos fazer do outro a nossa "imagem e semelhança" desconsiderando a riqueza das diferenças. Criamos ambientes difíceis, desgastamos relacionamentos, simplesmente porque o outro não é exatamente o ideal que planejei para ele. Penso que temos que fazer essa reflexão para parar de minar nossos relacionamentos e começar a perceber o que o outro tem bom.
O meu convite é para que tenhamos olhos, ouvidos e coração mais GENEROSOS e menos CRÍTICOS. Que tal experimentar?
Abaixo vou postar a mensagem da árvore torta que já postei uma vez no quando este blog era recém-nascido.
Beijocas à todos.




Um dia, diante da velha árvore torta, um pinheiro todo vergado pelo tempo, o sábio da aldeia ofereceu a sua própria casa para aquele discípulo que “conseguisse ver o pinheiro na posição correta”.
Todos se aproximaram e ficaram pensando na possibilidade de ganhar a casa e o prestígio, mas como seria  “enxergar o pinheiro na posição correta”? O mesmo era tão torto que a pessoa candidata ao prêmio teria que ser no mínimo contorcionista.
Ninguém ganhou o prêmio e o velho sábio explicou ao povo ansioso, que ver aquela árvore em sua posição correta era “vê-la como uma árvore torta”. 
Só isso!
Nós temos em nós, esse jeito, essa mania de querer “consertar as coisas, as pessoas, e tudo mais” de acordo com a nossa visão pessoal. Quando olhamos para uma árvore torta é extremamente importante enxergá-la como árvore torta, sem querer endireitá-la, pois é assim que ela é. Se você tentar “endireitar” a velha árvore torta, ela vai rachar e morrer, por isso é fundamental aceitá-la como ela é.
Nos relacionamentos é comum um criar no outro expectativas próprias,  esperar que o outro faça aquilo que ele “sonha” e não o que o outro pode oferecer. Sofremos antecipadamente por criarmos expectativas que não estão alcance dos outros. 
Porque temos essa visão de “consertar” o que achamos errado. 
Se tentássemos enxergar as coisas como elas realmente são, muito sofrimento seria poupado.
Os pais sofreriam menos com os seus filhos, pois conhecendo-os, não colocariam expectativas que são suas, na vida dos mesmos, gerando crianças doentes, frustradas, rebeldes e até vazias.
Tente, pelo menos tente, ver as pessoas como elas realmente são, pare de imaginar como elas deveriam ser, ou tentar consertá-las da maneira que você acha melhor. O torto pode ser a melhor forma de uma árvore crescer.
Não criei mais dificuldades no seu relacionamento, se vemos as coisas como elas são, muitos dos nossos problemas deixam de existir, sem mágoas, sem brigas, sem ressentimentos.
E para terminar, olhe para você mesmo com os “olhos de ver” e enxergue as possibilidades, as coisas que você ainda pode fazer e não fez. Pode ser que a sua árvore seja torta aos olhos das outras pessoas, mas pode ser a mais frutífera, a mais bonita, a mais perfumada da região, e isso, não depende de mais ninguém para acontecer, depende só de você.
Pense nisso!

Paulo Roberto Gaefke