terça-feira, 5 de outubro de 2010

Relembrando e recomeçando...

Boa tarde de terça, gente! No meio de 2009 escrevi algo sobre algumas mudanças que eu havia implementado em minha vida depois de ter passado por uma crise de stress e burn-out. Na época eu não tinha blog, mas escrevi o que estava sentindo e guardei no meu e-mail. Pode até ter sido por instinto, ou por ter achado bonita a reflexão. Mas é fato que como as coisas são mutáveis, novamente me encontro num momento precisando rever posiocinamentos e jeitos de ser. É engraçado, que nos momentos que estive em terapia o foco era trabalhar o meu jeito perfeccionista e controlador (no sentido de querer tudo sempre certinho) o que acabava me sobrecarregando. Eu pensei que tinha melhorado demais neste aspecto e realmente melhorei. Mas no final do ano passado e início desse ano que voltei para a terapia, a psicóloga disse: - Não podemos ter controle sobre tudo, sobre a ação dos outros e etc...Nossa...e pensando que já tinha abandonado esse jeitão de ser.
O que penso disso agora é que existem certas características e crenças as quais devemos ser vigilantes e quando elas começam a se exceder é hora de PARAR, PENSAR e REVER. É isso que fiz nesses dias. Retomei o meu texto e vou publicar aqui, para me lembrar que é possível ter uma versão "mais ligth" de mim mesma e que não tem problema em não dar conta de tudo, igual a Grasi falou para mim: Auto-cobrança não leva a nada. É isso, ela tá certa. Bjuss

Hoje experimento uma versão mais "ligth" de mim mesma, no sentido que entendi que é hora de usufruir de todas as minhas conquistas e aprendizados.
Desfruto mais, e me cobro menos...
...me contento com o suficientemente bom e não busco mais o perfeito...
...me permito conhecer lugares novos, e a programar viagens que realmente irão se concretizar...
...descobri que amo mesmo é estar com gente, sejam simples, complicadas, engraçadas, pobres, ricas, chorosas...e isso fala de mim mesma...
...sinto me mais forte e confiante e por isso posso relaxar...
...meus novos sonhos me parecem mais possíveis, porém não coloco prazo para alcançá-los...deixo fluir...
...ouço o meu coração em todo seu sentido simbólico, e acredito que ele sabe muito das coisas...
...aos 28 consigo me perdoar pelas escolhas feitas aos 20 e poucos e repito como um mantra:"já passou"...
...aos 28 estou aprendendo a lidar com um novo corpo, mas empenhada em transformá-lo através da dança e da ginástica, já que milagres não acontecem sem a nossa força de vontade...
...a algum tempo promovi um encontro comigo mesma o que foi de extrema importancia para o meu crescimento e eu diria que vital, porém, o custo disso talvez tenha sido a minimização da minha rede social, que calmamente pretendo resgatar, pois estou diferente...
...há algo em mim que diz que preciso demonstrar mais o meu afeto, pois as vezes é difícil entender o amor e dizer "eu te amo", mas acho que ainda vou gastar mais tempo nisso...
...aos 28, posso dizer que estou em paz, tranquila e segura de mim mesma..."
20/05/2009