quarta-feira, 16 de junho de 2010

Movimento

Estive pensando...o estático me incomoda. Gosto do novo, do desafio, da mudança. Não é atoa que já tive vários tipos de cabelo, mudei algumas vezes de emprego na minha área. A inércia é algo sem sabor. Ficar quieta, queria conseguir pelo menos um pouco, mas basta ver algo piscando colorido, luminoso me convidado a me mover que vou. Estou com saudades das aulas de Flamenco, mas com uma enorme vontade de fazer dança de salão, porque é novo. Aí acho o Drummond com "mudança". Acho que tem a ver com o que sinto. Beijocas, usufruam, e se gostarem, comentem!


O que muda na mudança, 
se tudo em volta é uma dança 
no trajeto da esperança, 
junto ao que nunca se alcança? 


Carlos Drummond de Andrade