sexta-feira, 21 de maio de 2010

"Por amor às causas perdidas"

Boa noite de sexta, gente! A primeira vez que ouvi com interesse a música "Dom Quixote" dos Engenheiros do Hawai, senti uma coisa em mim, um arrepio do início ao fim. Isso faz algum tempo. Tenho pensado sobre o impacto que essa música causa em mim, pois traz a questão da loucura, das coisas "vis" do ser humano e principalmente "pelo amor as causas perdidas". Talvez por estar trabalhando juntamente com pessoas tão carentes e acreditando no serviço de saúde público o qual coordeno (UBS), por desenvolver um grupo terapêutico com jovens mães que conhecem desde a infância a violência, a falta de esperança e o abandono, ou estar diretamente ligada à questões tão desacreditadas pela maioria das pessoas que talvez eu me sinta assim, meio doida por acreditar em tudo o que faço e "por amor às causas perdidas". Vamos à música. bjuss

















Dom Quixote



Muito prazer, meu nome é otário
Vindo de outros tempos mas sempre no horário
Peixe fora d'água, borboletas no aquário
Muito prazer, meu nome é otário
Na ponta dos cascos e fora do páreo
Puro sangue, puxando carroça
Um prazer cada vez mais raro
Aerodinâmica num tanque de guerra,
Vaidades que a terra um dia há de comer.
"Ás" de Espadas fora do baralho
Grandes negócios, pequeno empresário.
Muito prazer me chamam de otário
Por amor às causas perdidas.
Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Tudo bem, seja o que for
Seja por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas
Tudo bem... Até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Muito prazer... Ao seu dispor
Se for por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas