segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Você já andou de patins?

Passava horas e horas em cima de quatro rodinhas na calçada lisa perto de casa. Tinha 9 anos nessa época e depois de 20 anos é quase impossível lembrar o que se passava na minha cabeça. Consigo sentir a sensação gostosa que era deslizar para cá e para lá, sentido o vento e a liberdade.



A gente cresce, as coisas vão mudando... mas certas coisas  e gostos permanecem. Aos treze anos o auge era o "turbo roller", as rodinhas tinham mudado de posição. Será que eu conseguiria andar de novo de patins? Eu queria, não importava muito a posição das rodas, eu queria a sensação. A liberdade que sair por aí nessas rodinhas davam. E no natal daquele ano eu e meus irmãos ganhamos nossos "turbo roller's".


Como eu aproveitei. À tardinha o dia me convidava a andar no bairro calmo e tranquilo, isso era rotina naquela época.

Mas uma vez a gente cresce, os interesses vão mudando. Agora (aos 15 anos) a gente quer jogar vôlei na rua com a turma, ir para festinha com a turma...pensar o que quer da vida. E os patins ficaram na memória.

12 comentários:

Flaviane Koti disse...

A nossa criança interior nunca morre, nos é que esquecemos dela.
Eu ainda tenho meu roller, com joelheira, luva, cotoveleira, só não tenho o capacete, tbm, a cabeça é dura mesmo, mas sou péssima, muito péssima, mal paro em pé nele. A última vez que andei nele foi no Japão, num estacionamento, me empolguei e só consegui parar qdo grudei numa cerca de proteção.
Aproveite, curta e divirta-se, esse é o importante.
O meu, acho que vai ficar guardado mais um tempo, aqui só tem buraco e paralelepípedo, então...
Bjs

Jaqueline Köhn disse...

Oi Tê!

Ahhhhh, que legal isso ...

Você é muito corajosa heim?!
No meu tempo o patins era de quatro rodas também, mas o "Turbo" não cheguei a experimentar, acho difícil.Parabéns e é isso aí, muito bom resgatar as coisinhas adormecidas, né não?

Um grande beijo!

Cantinho She disse...

kkkkkk Tê, que delícia de post, amei! Menina, eu não sei andar nem de bicicleta o que dirá de patins... hahaha Mas deve mesmo ser uma delícia! Adorei o jeitinho que vc fez o post, deu para sentir daqui do RJ a sua felicidade... hehe
Beijo, beijo Lindona!
She

ElectronLeo disse...

Coisas que nunca vamos esqueçer... Isso nos resgata, resgata valores que deixamos adormecidos!
Deviamos todos sair a andar de "Patins"...
Muito bom seu post, me fez lembrar de tantos momentos bons que passei! (que nostalgia - Boa) rsrs

Abraços e uma Otima semana!
Léo ^^

Regina Laura disse...

Ai Teresa, que delícia ler isso.
A infância não tem hora pra acabar...
Mas...quanto aos patins...menina, eu bem que tentei. E mais de uma vez.
Putz...levei tanto tombo que vc não acredita!
Não levo o menor jeito..rs
Meu negócio é a bicicleta mesmo, e olhe lá.
Mas, cada um voa como pode, né?
O importante mesmo é não esquecer de que é possível..sempre..nao importa o tempo que passe.
Beijo grande

Denise Portes disse...

Teresa,
Eu também andei muito de patins e tenho um par dele guardado até hoje. Adorei o post foi como viajar no tempo.
Um beijo
Denise

Gaby Soncini disse...

Ah que coisa boa *.*

Que texto lindo!

Adorei te descobrir por aqui.

Grande Beijo.

Ronda disse...

Oi Teresa,
Uns 15 anos atrás teve uma febre de patins aqui em SP. Virou moda e abriram várias pistas de patins. Naquela época eu me aventurei, mas o problema era a falta de coordenação... rsrsrs. Ficava muito inseguro por não conseguir firmar os pés no chão... Depois disso não tentei mais.

É bom que esteja se divertindo!
Abraços!!

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Teresa,

Saudade de seu espaço minha amiga... Andava ausente (e andava sem patins). O importante é que estou aqui e tenho q confessar guria: Nunca andei de patins! Fiquei na bicicleta e nem skate rendeu... KKKK
É bom reviver coisas boas, ainda mais coisas que nos remetem à infância!
Bjkss e abraço amiga

Carmen Mesquita disse...

Teresa, que barato!
Eu nunca andei de patins e confesso que morro de medo de me machucar.
Meu filho andava de patins com 3 anos de idade. Ele era muito elétrico e não tinha o menor medo, pode?
bjkas e não se demore!

Sofia Mir disse...

Aaah, voce sabe aonde vende esses colares de patins?
obrigada
sk.girls@hotmail.com

Morena Flor! disse...

Boa noite!
Teresa, olha que coisa interessante, hoje, minha sobrinha mais velha começou a relembrar o tempo em que andávamos de patins. Imagine eu, aprendendo a andar de patins in line aos 17 anos, junto com minha sobrinha de 8 anos? Olha que eu e outras duas amigas com idades próximas aprendemos a andar na raça, e nós começamos a moda dos patins pelo nosso bairro. A partir daí, várias crianças começaram a ganhar os patins e nós as ensinamos a andar(reconheço que elas ficaram ferinhas nos patins, nos deixando envergonhadas com as acrobacias desenvolvidas, enquanto nós somente andávamos). Aos finais de semanas, elas tocavam a campainha de nossa casa para irmos andar de patins pela rua. Éramos muito loucas, não usávamos equipamentos de segurança nenhum, ( o que realmente não recomendo à ninguém, rsrsrs), tomamos tombos hilários, até que a mãe de uma das amigas adolescentes acabou proibindo que ela andasse de patins, pois não era coisa de moça direita...Então, logo parei de andar, pois não tinha graça andar somente com crianças.
O fato foi que minha sobrinha, hoje ADULTA me convidou a voltar a patinar com ela e a amiga que também parou de andar por causa da mãe. Ela adorou a idéia dizendo que a filha anda com o filho mais velho e a namorada andam, cogitando até alugar patins para andar também. Devo confessar que estamos planejando até a compra dos patins, e fiquei meio temerosa, pois não ando de patins há mas de vinte anos,agora, como voce disse que igual bicicleta, uma vez em que se aprende não se esquece mais, então, estou começando a criar coragem.
Muito obrigada por me dar esse incentivo maravilhoso, e assim que comprar, voltarei com mais notícias.
Beijos!